Os melhores conteúdos para a gestão empresarial

Auditoria, Banking, Capacitação, Compliance, Finanças & Economia, Gestão Corporativa, Gestão de Riscos, Gestão Estratégica, Governança Corporativa, Jurídico & Contratos, Legislação e Contratos, Legislação e Contratos, Processos Corporativos, Riscos Corporativos

Gestão de Crises e de Transformações

Ministrado por Roberto Luis Troster e Celson Luiz Hupfer

8, 9 e 10 de abril de 2024

TREINAMENTO ONLINE

O gerenciamento de crises e de transformações é algo para ser feito regulamente. Antecipar problemas e soluções é fundamental. A velocidade de reação é a variável central, para assegurar resiliência e solidez nas operações corporativas.

Toda empresa está sujeita a choques no seu dia a dia. Alguns podem ser mais intensos que outros, alguns podem até colocar em xeque a continuidade da empresa ou da organização.

Uma boa gestão de crises e de transformações é específica para cada empresa. Entretanto, há requisitos básicos, que devem ser atendidos, bem como alguns preceitos que devem ser seguidos para seu desenho.

Participe deste Workshop InterNews para compreender o que deve-se considerar ao revisar e adequar estruturas, processos, políticas, procedimentos e sistemas de governança financeira na sua organização.

Saiba como analisar e eventualmente modificar um conjunto de práticas para aprimorar a gestão eficiente quando a realidade exigir transformações céleres.  Veja como obter equilíbrio financeiro, sustentabilidade das estratégias de crescimento, viabilidade de investimentos, além de garantir a reputação da empresa e o adequado retorno aos acionistas.

Este Workshop apresentará os principais conceitos e oferecerá ferramentas para uma gestão de crises e de transformações alinhada à estratégia da empresa, com o objetivo de capacitar executivos de organizações financeiras e não financeiras, a avaliar e implementar sistemas e estruturas adequados para evitar problemas e solucioná-los celeremente.

Instrutores

Roberto Luis Troster

Possui mais de trinta anos de experiência em tesourarias de bancos e empresas. É economista (prêmio Gastão Vidigal) e doutor em economia pela USP. Foi membro fundador da CAAR (Câmara de Administração de Assuntos de Risco) e economista chefe da Febraban e da ABBC. Professor universitário, lecionou na USP, na PUC-SP e na Mackenzie. Autor de artigos e livros, é consultor de empresas, governos e instituições financeiras nacionais e estrangeiras, incluindo o FMI e o Banco Mundial.

Celson Luiz Hupfer

Tem mais de trinta anos de vivência em bancos nacionais e estrangeiros, em gestão de pessoas, em crédito, em riscos e em reestruturação de setores. Também foi fundador e investidor em startups de tecnologia. Economista e doutor em psicologia social pela USP. Pós graduado em Financial Institutions for Private Enterprise Development pela Harvard University. Foi diretor dos bancos Itaú, Noroeste e do BankBoston e CEO da Connekt Tecnologia e Soluções em Recursos Humanos e co-fundador da UnicoRH Tecnologia em Recursos Humanos. Foi professor da FMU. Tem experiência em planejamento estratégico, mentoria e coaching de executivos.

Programa

I – Apresentação

Conceito, importância, variáveis chave e requisitos da boa gestão de crises e de transformações e o imperativo da sobrevivência do negócio.

II – Arquitetura da gestão de crises e de transformações

Tesouraria, operações, riscos, comitês, instrumentos, rotinas, documentos gerenciais e KPI´s. Algumas possibilidades de estruturas, políticas, processos e gestão de riscos e sua mitigação (crédito, compliance, fraudes, liquidez, operacionais, mercado e regulatórios).

III – Armadilhas

O que são, suas etapas, saídas, consequências, fatores externos e internos que a precipitam e erros a evitar, opções e adequações necessárias.

IV – O caixa é Rei

Descasamentos, fluxo de caixa, colchão de reserva, indicadores, fontes adicionais de recursos e a definição do caixa mínimo.

V – Atuação em estresses

Construindo cenários, definindo ações antes e testando-as. Comunicação, operação sem parar e planos de contingência e de prontidão. Importância da celeridade, antecipando problemas, defasagens, construindo cenários esperados e de estresse, simulações e identificação de vulnerabilidades.

VI – Tomada de decisão

Decisão operacional, novos negócios, investimentos (modelos de análise de retorno), sustentabilidade no longo prazo, fontes de capital, construção de cenários do mercado interno e externo, consequências de não investir, custos da inovação (ou não).

VII – Crescimento e competitividade

Análise da capacidade de crescimento e sua relação com fontes de recursos, fatores críticos para o crescimento (produtos, serviços, marketing, inteligência, TI, pessoas), fatores de sucesso e de fracasso, estratégias de Ebitda x crescimento (sustentabilidade x futuro).

VIII – Transformações

Retomando a estrutura, recursos financeiros, tecnologia, marketing, inovação e melhoria contínua, pessoas (perfis, contratação, remuneração, desenvolvimento de carreiras, conexão entre remuneração e metas) e liderança (modelos de liderança para a gestão financeira).

IX – Juntando as partes

Melhores práticas, controles, indicadores chave, o imperativo de ser proativo, diretrizes importantes e checklist para a estruturação da governança financeira e cuidados a serem observados.